Vídeo de universitária sobre o Farmácia Viva participa de competição internacional

Mírian Funkam visitou horto do Farmácia Viva para produzir vídeo (Foto: Divulgação)

O Programa Farmácia Viva rompeu as fronteiras brasileiras e ganhou visibilidade internacional a partir de um vídeo de três minutos produzido pela universitária Mírian Funkam, estudante do curso de Ciências da Computação na Universidade Americana da Nigéria (American University of Nigeria). A jovem maranhense participa da competição Global Youth Video Competition, organizada pela ONU, na categoria “Soluções Naturais para Alimentação e Saúde Humana”.

“Iniciativas como a de Mírian Funkam criam oportunidades para que tenhamos uma visibilidade diferenciada em outros estados, no Ministério da Saúde e também em outros países. O Farmácia Viva está rompendo as barreiras, oportunizando acesso à saúde pública às pessoas mais carentes do nosso estado com o uso das plantas medicinais”, compartilhou a coordenadora do programa Farmácia Viva, Kallyne Bezerra.

O vídeo consta em uma lista elaborada com base nos critérios de conteúdo, inovação, originalidade, impacto e conhecimento técnico. Os vídeos pré-selecionados foram publicados on-line no Youtube para serem votados pelo público por meio de visualizações – para cada view um voto será computado. Um vencedor será selecionado por categoria. Os três vencedores participarão da Conferência sobre Mudanças Climáticas da ONU (COP25) em Santiago (Chile), em dezembro.

A ideia da jovem surgiu na busca por ocupar o tempo livre das férias. Ela queria alguma oportunidade de aprimoramento dos seus conhecimentos acadêmicos. Foi então que soube da competição organizada pela ONU.  A estudante possui experiência em outras competições internacionais como o Hult Prize, na África, e o Modelo Nações Unidas, em Nova Iorque.

“Das três categorias disponíveis, a que eu mais me interessei foi a de ‘Soluções Naturais para Alimentação e Saúde Humana’, principalmente porque eu já tinha ouvido falar do trabalho da Dra. Terezinha Rego. Quando finalmente consegui entrevistá-la na UFMA, ela me recomendou o projeto Farmácia Viva”, disse a universitária.

Filha de uma maranhense com um professor universitário camaronês, Mírian Fonkam tem 20 anos e, desde 2013, estuda fora do país, em períodos divididos entre Estados Unidos e Nigéria. Atualmente, ela é líder na universidade onde estuda, além de presidente da Associação dos Estudantes Internacionais e diretora do campus para Hult Prize, premiação que busca criar soluções de âmbito social no que tange à segurança alimentar, acesso à água, energia e educação.

Assista o vídeo abaixo:

Sobre o Farmácia Viva

O Programa Farmácia Viva valoriza a cultura popular, conhecimentos e as características de território de cada povo. Com isso, a população pode ter acesso a medicamentos de origem vegetal, como forma de amenizar ou tratar sintomas de doenças.

Além dos medicamentos de origem vegetal, também são realizadas capacitações sobre o correto manejo das plantas para a produção de remédios. Ao todo já foram implantados 47 hortos e capacitadas 13 mil pessoas em todo o Maranhão, entre comunidades e profissionais da saúde das mais variadas especialidades.

O programa já teve adesão de 100 municípios maranhenses, incluindo os 30 municípios contemplados pelo Programa Mais IDH do Governo do Estado.

Deixe uma resposta